28.2.10

CATÁSTROFES NATURAIS

Tem sido fértil em catástrofes naturais o mês de Fevereiro. Depois do Haiti, foi a vez da Madeira (Portugal), o Chile, a Argentina, esta madrugada chegou à Austrália e posteriormente também ao Japão. Por cá a chuva parece ter vindo para ficar... e o Inverno tende a entrar pelo mês de Março dentro, como há muito não se via!
A estas há ainda as que virão com o fenómeno "El Niño" e as decorrentes do sobreaquecimento do planeta, mas os decisores deste mundo parecem pouco preocupados com isso e nem se dão ao trabalho de tomar medidas adequadas para reduzir a emissão de gases tóxicos para a atmosfera, apesar do festival de conferências que se vão fazendo, e onde se gastam rios de dinheiro.
Dinheiro que é dos contribuintes, habitualmente os mais mal posicionados na hierarquia social, pois os homens ricos arranjam em, conluio com os governantes, os meios mais estranhos para não pagarem impostos. Ou então, para não ser injusto, usam dos artifícios que lhes interessa para pagarem o mínimo, sem que se possa dizer que fugiram ao fisco.
A mísera essa vai continuando a aumentar, e na minha singela opinião essa é de momento a maior catástrofe natural, muito embora grande parte dos economistas vejam isto apenas como um efeito secundário do funcionamento do mercado! É pernicioso comparar a pobreza com uma mera questão circunstancial de aplicação de modelos económicos inapropriados! Ou será que os pobres são hoje um produto económico com um valor de mercado? Parece que sim! Com efeito um produto da economia neoliberal!

1 comentário:

Lu! disse...

É curioso, tudo a acontecer ao mesmo tempo... Só tragédias... Dá que pensar!