25.3.10

A ESCRITA

Isto é um género de doença... um vírus! Eu e a escrita... a escrita e eu, somos de verdade duas realidades inseparáveis. Ontem depois de um dia extenuante, além de ler cerca de 30 páginas de um livro que me faz companhia de momento ainda escrevi mais dez páginas do romance em que ando a trabalhar! É certo que ainda é a escrita "em bruto", ou seja sem as devidas condições técnicas da ortografia (embora aqui só erre por distracção), da pontuação (também não sou de me descuidar) e nas concordâncias do enredo (neste aspecto é que são precisas cautelas)!
Esta febre, doença ou vício também não é de admirar em quem aos três anos sabia o alfabeto e escrevia o seu nome completo, dos irmãos e progenitores! Quem com seis anos escreveu o primeiro poema. É certo que a fama não me bafejou... porque a família de reduzidas condições pouco mais me pôde dar que o Curso Geral de Administração e Comércio. Com, um problema de saúde na família e a dificuldade de emprego fui para a obras... o melhor estágio de vida que poderia ter frequentado... durante 17 anos, mas mesmo nesse mundo a escrita fez sempre parte dos meus dias. Ler e escrever foram coisas que sempre seduziram, os meus companheiro de trabalho nas obras chamavam-me por vezes, a título de brincadeira, o poeta! Os amigos da minha infância quando nos encontramos, com reverência tratam-me por escritor! Não sou uma coisa nem outra, mas fico feliz por eles quando afirmam com muito orgulho: "eu estudei (ou brinquei ou trabalhei) com o escritor "tal". Há dias recebi um mail de um amigo de juventude que está na Suíça, e do qual já não sabia o paradeiro, mandou-me ir a casa de um irmão levar os dois romances recentes e o irmão que me pagasse, pois era com todo o orgulho que os queria ter e como tem medo que se esgotem fazia-me esse pedido!
Afinal ... para que estou aqui a escrever (?), se tenho tanta coisa para escrever!

1 comentário:

Lu! disse...

Fiquei com um bonito sorriso ao ler este apontamento =)

É tão bom escrever =)

Um dia quero ler algo teu =)

Beijinhos