10.3.10

UM POEMA

Para fazer a vontade a alguns dos meus amigos, vou hoje reproduzir aqui um dos meus poemas! Foi escrito há cerca de um mês, por isso aparece aqui como inédito. Para os adeptos da poesia, então aqui fica:
------
------
A TUA VOZ
-----
Saboreio as tuas palavras gulosas,
ardentes, em lânguido lume,
sonoridades florindo rosas
exaladas da boca em perfume.
-----
-----
Num prazer vivo e adocicado
dizes-me segredos ao ouvido
em frases cândidas, ardilosas,
de coração doce apaixonado
e no sentir-me por elas cingido
saboreio tuas palavras gulosas.
-----
-----
Semeias pétalas de sedução
com uma ternura perfumada,
em melosa voz sem volume
espalhas-me no corpo paixão
de sílabas, à minh' alma calada,
ardentes, em lânguido lume.
----
----
Saem da tua língua sibilante
confissões ousadas de desejo
descrevendo curvas insidiosas
que me seduzem nesse instante
para descobrirem no nosso beijo
sonoridades florindo rosas!
-----
-----
Inventas melodias esquecidas
num perfeito compasso gutural,
como se fosse névoa de ciúme
criada por ninfas adormecidas
ou música de um jardim celestial,
exaladas da boca em perfume!

2 comentários:

Lu! disse...

Lindo o poema =)

Parabéns!

09smvirgilio disse...

Não sei quem és tu...
ou porque aqui vens,
sei que te chamas Lu...
obrigado pelos parabéns!