29.4.10

ESTAR PARADO

Ainda não saí de uma completamente e já me estou a meter noutra. Mas o que é que hei-de fazer, tenho esta mania de não conseguir estar parado! Seja como for tenho de estar sempre em acção, mais no aspecto intelectual do que físico é certo, mas de qualquer modo também não consigo parar. Os meus pais, pessoas de poucas posses, é que foram os culpados disto porque lá em casa tínhamos sempre alguma coisa para fazer, e até quando não havia um trabalho urgente nos mandavam brincar para a rua, se o tempo tivesse bom, ou dentro de casa nas situações de chuva, que era para não estarmos parados.
Sempre tudo muito bem organizado, como a minha mãe gostava. Fazer os trabalhos da escola e estudar, fazer alguma coisa em casa e depois ir brincar com os outros garotos vizinhos, até à hora que ela marcava. Não havia tempo para inactividade pois a brincadeira era pelos meus pais considerada como uma tarefa diária obrigatória como qualquer outra. Só se zangavam quando deixávamos de fazer outras obrigações para dispensar o tempo todo à brincadeira.
Talvez por tudo isso, quando ainda mal se falava em associativismo já eu conseguia convencer, com 14 ou 15 anos, os outros (rapazes e raparigas) da minha idade, e até mais velhos, a organizar associações, corridas de atletismo, jogos de futebol entre aldeias, jogos de damas, bailes e outras coisas do género. Abençoados pais... pois as suas ideias deram fruto, e um contributo muito grande para a dinâmica que tenho hoje. Claro... por isso ainda mal saí de uma já me estou a meter noutra!!!

1 comentário:

Lu! disse...

Invejo-te nisso =)

É bom viver assim!

Tives-te umas boas bases, o que é optimo!!