22.5.10

CHOREI DE ALEGRIA

Quando as coisas me correm bem, emociono-me com alguma facilidade! Foi o que aconteceu hoje na encenação da entrega do Foral de Olalhas! Às quatro horas já estava pronto para me vestir para a peça, e sentia algum nervosismo miudinho! Quando às cinco horas recebemos ordem para ir trocar de roupa, fiquei um pouco mais sossegado! Mas depois estivemos cerca de uma hora sob um sol tórrido, e além do calor que ele transmitia ainda tínhamos que suportar os dos trajes, uma réplica de fatos do século XVI extremamente quentes. A boca secava e o suor escorria pelo corpo abaixo sem que pudéssemos beber água. Era um autêntico exercício de sauna que nos deixava derreados!
É certo que a encenação era curta, cerca de meia hora, mas exigia um esforço descomunal a que ninguém se recusou. Nas minhas intervenções, no papel de Comendador Afonso de Noronha, nobre Cavaleiro da Ordem de Cristo de finais do século XV e princípios do seguinte, uma a meio e outra a terminar, ainda que o texto fosse algo longo, saiu tudo limpído e perceptível, o que foi extensivo ao resto do grupo. Só que comigo havia o inconveniente de eu estar na torre da casa acastelada e o público ao nível do solo, exigindo uma maior entrega pela voz. Mas correu tudo bem e no final estava feliz quer pelos textos que consegui elaborar como pela atitude dos participantes. No final toda a gente queria falar connosco e quando cheguei aos bastidores chorei de alegria!
Alguém me dizia ao dar-me os parabéns "doutor conhecia muitas das suas facetas, mas não sabia que era actor" e eu apenas consegui responder-lhe "eu também não!"

1 comentário:

Lu! disse...

Que bom =)

Parabéns!

Até eu estou aqui a rir pela tua algria =)

Beijinhos