18.6.10

LUTO LITERÁRIO

As letras portuguesas hoje estão de luto! Morreu José Saramago. Ainda que não fosse o escritor que mais admirasse no panorama nacional, era um daqueles a que poderia colocar numa segunda linha de grandes autores. Depois de Miguel Torga, Natália Correia e Urbano Tavares Rodrigues, Saramago era dos autores da minha contemporaneidade o que mais me seduzia! Daqueles com os quais não tive o privilégio de partilhar a existência, Alves Redol, Florbela Espanca, ainda a par de Cesário Verde e Fernando Pessoa, além do poeta maior (Camões) sem esquecer Eça e Camilo Castelo Branco, foram os que mais me marcaram.
Mas José Saramago era aqui quase vizinho e ao contrário do que diz muita gente sempre entendi as mensagens e os objectivos das suas obras, algumas delas lidas muitos anos após a respectiva publicação mas com o mesmo interesse. Devo dizer que para tanto bastou a censura que lhe foi feita por um ex-sub-secretário de Estado da Cultura ao não propor Saramago para um Prémio europeu de literatura, esse senhor que até foi meu professor no ISCSP, dá pelo nome de António de Sousa Lara. Enfim costuma-se dizer que há males que vem por bem, foi o que aconteceu neste caso.
De qualquer modo, e ainda que não concordasse com todas as ideias e opiniões de Saramago é mais que justo reconhecer o elevado contributo que deu à cultura portuguesa nomeadamente no campo da literatura. Por isso retiro-me por agora para o meu luto literário.

1 comentário:

Lu! disse...

Não admirava mas respeitava o senhor.

Que Deus o abençoe.

Beijinhos pa ti.