9.6.10

MERECIDA HOMENAGEM

Poderia hoje escrever por aqui algumas palavras sobre a prestação da selecção portuguesa, no jogo de ontem, frente a Moçambique! Também poderia fazer a opção de dedicar algumas linhas ao facto da economia nacional ter ultrapassado as expectativas no primeiro trimestre deste ano, ainda que por uma insignificante décima de ponto percentual. Mas que valor pode ter isto tudo quando comparado com uma vida humana.
A minha merecida homenagem, e sinceramente acho que é uma merecida homenagem, vai para aquele funcionário da Refer que perdeu a vida esta manhã na estação de Riachos! Não por ele ter perdido a vida, não por ser funcionário da Refer, não por ser um jovem (38 anos), mas sim pelas circunstâncias em que tal facto ocorreu! Segundo os relatos que chegaram pelos diferentes órgãos de comunicação, a sua acção altruísta acabou por "condená-lo" à morte! Para tentar salvar dois idosos na casa dos 80 anos, viria a ser colhido pelo comboio, que circulava a cerca de 160 Km/h, conjuntamente com eles.
É sempre lamentável quando um ser humano morre, e neste caso foram três, mas muito mais quando as circunstância são tão horríveis. Numa época em que se afirma continuamente que se perderam todos os princípios, em que os idosos são vistos pela sociedade por um empecilho, esta atitude vem exactamente demonstrar que ainda há quem tenha princípios e dê valor à vida humana, independentemente da idade do seu semelhante!
Como eu gostaria de estar aqui a louvar a atitude altruísta daquele homem, com a alegria de que tinha salvo os dois idosos e que teria mostrado ao mundo que apesar de todas as vicissitudes ainda existem sentimentos. Infelizmente não é possível... mas ainda assim, e devido aos tristes efeitos do acontecido, me sinto mais obrigado a prestar-lhe a minha mais que merecida homenagem!

1 comentário:

Antonio Branco disse...

solidarizo-me com a homenagem. merecida. não tenho a certeza que alguém falasse nisso, não tivesse havido mortes... infelizmente, os heróis são mais heróis mortos do que vivos...
um abraço!