15.2.11

ACHO VERGONHOSO

Vão desculpar a minha sinceridade, mas acho que ela se justifica. Num país que teve nomes das letras como D. Dinis, padre António Vieira, Luís de Camões, Gil Vicente, Herculano, Garrett, Eça, Camilo Castelo Branco, Júlio Dinis entre tantos outros que escreveram numa das línguas mais belas da humanidade, custa-me ver certas pessoas recorrerem constantemente ao inglês. Acho vergonhoso e uma típica atitude de provincianismo doentio. Já em vários locais e momentos me tenho insurgido contra isso.
Eu até lido bastante bem com o inglês, aliás correspondo-me com uma pessoa em inglês (mas muitas vezes transmito-lhe informações em português), em certo aspecto domino o francês, compreendo o italiano e o espanhol, que leio com à vontade ainda que não escreva estas últimas duas, além de ter conhecimento vasto do grego e latim clássicos, considero que é de um pedantismo saloio, ouvir ou ler termos em inglês no contexto de uma frase em português sem que nada o justifique.
Eu que por acaso até traduzi todo o meu trabalho de mestrado para inglês, tendo necessitado apenas de uns pequenos reparos, não concebo que este nosso idioma seja conspurcado desse modo como muitos fazem. Recordo pois com simpatia os timorenses que nunca deixaram morrer a nossa língua, aquela que Afonso Henriques começou por impor em oposição ao galaico-latino que se falava no espaço que iria tornar Portugal. Acho vergonhoso não termos isso como exemplo!

1 comentário:

António Branco disse...

se não defendermos a nossa língua ninguém a defende.
mas se não falarmos outras línguas, estaremos a falar para 3% da população do mundo (contando todos os países que têm o português como língua oficial).
é muito... mas pode ser pouco. depende do que se quer.