7.2.11

OPINIÃO CREDÍVEL

Li com atenção a opinião do ex-ministro da Economia e meu professor de Economia e Finanças Pública de mestrado, Doutor Augusto Mateus. Parece-me que até à presente data ninguém ainda tinha tido a coragem de apontar o dedo com tanta ênfase para a banca e para os procedimentos que levaram a crise que se instalou em Portugal. Todos sabemos que as finanças públicas não andam bem , mas Augusto Mateus não de coibiu (e com razão, a meu ver) de afirmar que a banca é responsável por "pecados éticos imperdoáveis", na gestão do risco, acusando-a de querer ganhar tudo e do modo mais fácil e mais rápido.
Além de concordar com esta primeira opinião, também concordo com aquela em que refere que os portugueses perderam a confiança no sector financeiro, o que em minha opinião, mais tarde ou mais cedo, poderá ter graves consequências para o sector, nomeadamente através de uma invasão do mercado por parte de bancos estrangeiros. Ainda que a apreciação não fosse exclusiva para o nosso país, o facto é que Augusto Mateus, após uma abordagem genérica também se referiu a Portugal neste aspecto. Já a sua apreciação geral apontam um caminho, pois para ele o mundo financeiro "só vai sair desta crise quando fizer a própria correcção desta realidade" e assim trave a sangria de confiança dos cidadãos e consumidores que se está a verificar em muitos dos países considerados desenvolvidos!
Uma opinião credível, da qual partilho claramente e da qual já fizera eco, ainda que por outras palavras e não possuindo os dados técnicos nem conhecimentos do douto economista.

1 comentário:

António Branco disse...

não ouvi. mas concordo com o que diz o Virgílio. no entanto, tanto ou mais responsáveis, são os cidadãos e os estados que fazem empréstimos para comprar aquilo de que não precisam.