27.9.10

"AFINAL É FÁCIL"

Pelo que parece e segundo as propostas da OCDE, é fácil resolver o problema económico em Portugal. Sobem-se os impostos, congelam-se os ordenados, põem-se tudo a trabalhar a contratos de seis meses, acaba-se com o subsídio de desemprego, ainda que não se acabe com o imposto para o mesmo, e aposta na educação (que deve ser paga segundo o senhor Angel Gurria). E o problema esta resolvido, de facto só me espanta que estes senhores não se tivessem lembrado disso antes, ou que as suas teses não viguem nos países subdesenvolvidos!
Para não totalmente desagradável, devo dizer que na minha opinião a OCDE está para a economia como a Al-Qaeda está para a política. São nem mais nem menos que o mesmo tipo de terroristas só usam fato e gravata, aliás como a maioria dos traficantes de droga "escola" em que eles parecem ter aprendido para fazer a lavagem que fazem da realidade. Nem uma palavra contra os especuladores, nem uma palavra contra os vencimentos milionários (porque quando opinam o congelamento é para os que ganham 500 Euros por mês), nem uma palavra contra os Bancos e os seus lucros exorbitantes, nada contra as Bolsas canais legalizados para se fazer a maior lavagem de dinheiro do crime que alguma vez existiu, nada contra os off-shores meios semi-legais sedeados em paraísos fiscais, que tem a mesma função do que antes se disse sobre os bancos.
Assim até parece fácil senhor Bin Laden, oh perdão senhor Angel Gurria!

1 comentário:

Antonio Branco disse...

Olá Virgílio! Na verdade há muita incompetência na gestão do país e mesmo na gestão de organizações como a OCDE. Mas apesar de tudo, eles não são tontos (estou a falar da OCDE...). Vivemos numa sociedade que tem muita injustiça, mas onde sabemos (mais ou menos) as regras. Se o nosso governo andou a fazer o que quis com ar feliz e contente (apoiar bancos em falência, dar apoios sociais a milhões de pessoas sem verificar da sua necessidade - falo de baixas, de subsídios a quem fica em casa e mesmo de subsídios de desemprego - não digo que nada disto seja necessário, mas tem de ser controlado, ou gasta-se o que se tem e o que se não tem), e depois dos gastos ainda achou que podia fazer autoestradas... (o TGV até saía quase de graça, pelo que não lhe vejo problema)... agora... tem de cortar a torto e a direito... o que faria qualquer família que não tivesse feito contas. Teria de as fazer cortes à toa antes de lhe virem penhorar os bens. Acho que tens razão quando não se fala dos rendimentos milionários. Mas é parece que esses terão cortes maiores (se trabalham para o Estado) ou maiores taxas de IRS se trabalham no privado. Quanto aos bancos... qualquer taxa que se repercuta nos bancos, estes passam-na directamente para nós... pelo que não me parece que tal medida seja eficaz. Quanto à Bolsa, é um local de venda como um mercado qualquer... compram-se e vendem-se acções e derivados. É mais fácil roubar no peso das maçãs num qualquer mercado de rua do que roubar quem compra e vende acções... quem as compra ou vende é que tem de saber o que está a fazer. Quanto aos especuladores, acho estranho todo o barulho do próprio 1º ministro contra os especuladores. Especular é comprar uma coisa, esperar que suba de preço e vender. Isso é o que qualquer cidadão gostaria de fazer com a sua casa, o seu carro ou acções se as comprasse... especuladores seremos todos. Os especuladores compram o que é barato e vendem o que está caro... se acaso as taxas de juro da dívida subiram recentemente e o PM veio dizer que a culpa era dos especuladores, tal é uma desculpa esquisita. Os especuladores compram barato e seguro. Se a dívida corre o risco de não ser paga, os especuladores não a compram. Se ninguém a compra, só subindo os juros alguém aparece para a comprar. Mas isso é má gestão do governo, não é culpa dos especuladores... má gestão que passa por não taxar o lucro da PT na venda da VIVO... mas é a gestão que temos.
Um abraço!