8.9.10

PUBLICIDADE ENGANOSA

Hoje tive oportunidade de ver na televisão a campanha promocional da ministra da Educação com aquele ar meio desconcertante que nunca chegamos a saber se está satisfeita ou então pelo contrário está desconfiada. Por casualidade, também hoje, li já parte da sua entrevista ao "JL" - Jornal de Letras, Artes e Ideias, do qual sou leitor assíduo há muitos anos.
Em qualquer dos casos fiquei com a mesmíssima sensação! A senhora, por muito séria que seja, está a fazer publicidade enganosa, aliás um pouco à imagem do que fez ontem o primeiro-ministro em relação a certos dados da OCDE. A famosa reestruturação do chamado parque escolar é uma falácia, tudo se resume a cortar a torto e a direito e num modo de matar mais de metade de Portugal (aliás este primeiro ministro vai ficar conhecido pelo que mais destruiu o país para encher o bolso a certos indivíduos).
Depois vem a história dos Magalhães (para encher os tais bolsos) em que não são oferecidos mas pagos a peso de ouro, por um lado devido à obrigatoriedade de fidelidade ao operador da internet e por outro lado porque se o aparelho manifestar deficiências ninguém se responsabiliza (seja Ministério, Escola, Operadora, ou Fabricante) ainda que o cidadão mesmo sem utilizar um certo serviço se vê obrigado a pagá-lo na mesma. A garantia é inexistente... ao contrario daquilo que diz a lei, e eu felizmente ou infelizmente sei do que estou a escrever. Isto é o aparelho vêm com deficiência, a garantia de dois anos não é accionada porque nenhuma entidade se responsabiliza e o cidadão, neste caso o encarregado de educação, tem de continuar a pagar a Internet. Dizer que isto é uma mais valia... é publicidade enganosa. Aliás como tem sido toda a governação de Sócrates!

1 comentário:

Antonio Branco disse...

Olá Virgílio! Aconteceu-me o mesmo. A minha mulher é professora, comprou um pc neste regime, não funcionou bem à primeira. Ao 3º ou 4º arranque, lá funcionou. Mas por falta de confiança no pc,acabámos por comprar outro na mesma semana. E ainda bem. Passado um mês, o do regime Magalhães deixou de carregar a bateria. Fui ao serviço que deveria garantir o pc mas o que fizeram foi vender-me outra bateria. Tal não resolveu. O problema deve ser outro. Claro que não vou gastar mais um tostão naquilo. A não ser no maldito contrato de 3 anos que fomos obrigados a fazer... e que nem usamos pois o que comprámos da segunda vez tem acesso a wireless e temos wireless em casa e na escola...