5.10.10

O CENTENÁRIO

Cumpriu-se hoje o dia em que se celebraram os 100 anos da implantação da República. Com muitos festejos por todo o país, mas com a amargura no coração dos portugueses, porque se a República foi implantada para se viver os últimos 100 anos que se viveram mais valeria ter deixado tudo na mesma. Em termos oficiais e pompa marcou pontos enquanto o povo se vê cada vez mais destinado a viver na miséria e na exclusão! Em 100 anos tivemos os cerca de vinte anos iniciais de continuada conflitualidade e sem que se cumprisse o prometido. Depois tivemos uma ditadura de mais 48 anos em que o principal personagem estabilizou as contas públicas à custa da fome da perseguição da violência e do despotismo. Por fim tivemos os últimos 35 anos em que ao renascer da esperança e da utopia tem correspondido a mentira, as artistadas, as vigarices, o espoliar o Estado por uma certa elite. O 25 de Abril foi prostituído pelo lenocínio daqueles que mais o temeram.
Não há que ter orgulho dos últimos cem anos! Os nomes e famílias que então, a 4 de Outubro de 1910, dominavam o país continuam a fazê-lo hoje e atravessaram impunes todos os regimes e circunstâncias, quais camaleões que se vão moldando consoante o habitat em que estão em dado momento inseridos. Talvez não seja monárquico, nem republicano, sou português e sei que este povo não merece ser dominado por esta gente. Por isso, hoje dia do Centenário, coloquei um fundo negro (sinal de luto) pelo meu país. Este centenário não é meu, como certamente não seria de D. Afonso Henriques, nem de José Relvas, é o Centenário dos parasitas!

1 comentário:

Antonio Branco disse...

Ninguém sabe como estariam as coisas se o regime não tivesse mudado. Não me preocupa muito que sejamos republicanos ou monárquicos. Preocupa-me a boa governação (que não tem reinado). E apesar de tudo o que disse, concordando com a maioria, a 5 de Outubro de 1910 mais de 80% da população não sabia ler nem escrever. Apesar de, a esse respeito, hoje ainda estarmos num lugar pouco dignificante na Europa, o meu problema ontem, 5 de Outubro de 2010, foi não conseguir lugar no cinema (estava cheio)... o que mostra que as dificuldades mudaram.