25.10.10

QUESTÃO DE JUSTIÇA

O Doutor Marinho Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados, mostra-se incomodado com os vencimentos dos juízes portugueses. Aliás nas suas palavras utilizadas aos microfones da TSF, o termo utilizado foi "chocado". Tal desabafo vem na sequência do Relatório do Concelho Europeu que aponta o facto de Portugal ser o país como um dos que têm o maior número de juízes, sendo no entanto aquele onde a aplicação da justiça é mais lenta.
Marinho Pinto tem a fama de ser "desbocado" e dizer algumas coisas pouco a propósito, mas mais uma vez voltou a tocar na ferida quando afirmou que "95% das reformas de toda a administração pública, incluindo a dos políticos, superiores a 5000 euros mensais são dos magistrados". E seguindo este raciocínio o Bastonário apontam o dedo para a "incapacidade dos dirigentes políticos em resolver este problema" dos "benefícios escandalosos" que acabam por se reflectir "no atraso da justiça portuguesa".
Porém convenhamos que não é de agora que isto se passa. Se quisermos reflectir um pouco este tipo de benesse vem de longe, bem como a prepotência dos magistrados. Pode mesmo dizer-se que se esta classe pugnasse de facto pela Justiça, o Estado Novo não teria durado mais que uma década, mas (juízes e alguns advogados) optaram por lavar as violações constantes da ditadura, mais que Salazar, foram sem dúvida as forças armadas, as forças policiais (Pide) e os senhores juízes que suportaram quase cinquenta anos de regime ditatorial.

1 comentário:

Lu! disse...

Existe tanta podridão no nosso país... Pior é que todos sabem e ninguém nada faz...

Beijinhos