26.8.10

O BIG BROTHER

Hoje foi mesmo um dia consagrado ao "Big Brother". Pela manhã foi a notícia de que cerca de 700 escola iriam ter vídeo-vigilância a partir de Setembro, chegando às mil em Dezembro. À tarde foi a confirmação que o Presidenta da República terá aprovado o diploma legal sobre o "Chip" de matrícula para os automóveis.
Digamos que nada disto é de estranhar, se tivermos em conta o enredo quase profético da obra de George Orwell "1984". A única estranheza estará certamente na temporalidade de for visto de uma perspectiva realista, o que não pode ser dado que estamos em presença de uma obra de ficção e o 1984 queria apenas significar um futuro, mais ou menos, distante.
Mas outras conjecturas emergem desta situação. Desde logo o aumento do desemprego, porque com a vídeo-vigilância nos estabelecimentos de ensino, o Estado vai dizer que estão garantidos os instrumentos de segurança. O que de facto não corresponde à verdade e a reacção dos poucos que vão sobrar para esse efeito passa a ser mais morosa quer porque o seu número vai baixar, quer porque vão estar sujeitos a receber ordens de alguém que controla o centro de vídeo.
Quanto aos "Chips", além dos portageiros das auto-estradas que também irão ser reduzidos de um momento para o outro, poderá vir a ter ainda o efeito de baixar também o número de efectivos de segurança pública.
Em conclusão, vai prestar-se um pior serviço, com claro prejuízo do cidadão, para três ou quatro empresas (onde estão os amigos) irem embolsarem mais uns milhões aos Estado, isto é a todos nós que pagamos impostos... e ainda o BIG BROTHER está no início (no nosso país)!

2 comentários:

Hugo Cristóvão disse...

Não concordo nada contigo Virgílio.
Quanto às auto-estradas, o chip só vem melhorar a vida dos cidadãos. Eu por exemplo tenho via-verde praticamente desde que ela existe, tal como adiro a tudo o que me faça poupar tempo em filas, em deslocações necessárias, etc.
E não podemos ver as coisas pela via do "vão desaparecer empregos", porque senão não deviam ter sido abolidas as fronteiras, o escudo, o papel azul vinte cinco linhas, entre tanto mais, que por meras exigências administrativas obrigava a empregos específicos mas absolutamente inúteis para a qualidade de vida dos cidadãos.

Quanto à videovigilância já vem tarde, mas ao contrário do que julgas não vai servir para vigiar alunos, uma vez que o sistema só accionado na hora estabelecida em cada escola para o seu encerramento. Serve efectivamente apenas para segurança das escolas e de instalções e equipamentos públicos e pagos com os nossos impostos, e é por isso uma excelente medida.

Não devias ver o mundo sempre por essa perspectiva tão negativa, a tua existência sindical anda a fazer-te mal...

abraço

09smvirgilio disse...

Cada qual com a sua ideia e a sua perspectiva. Até posso dizer que é bom para o Orçamento de Estado, mas se iso depois for mau para o geral dos cidadãos... não sei onde está a vantagem!...
Quanto à existência sindical, devo recordar que foi ela que no século XIX, acabou com a exploração e no século XX contribuiu para a melhoria das condições de vida de milhões de cidadão! Esperemos que no século XXI volte a fazer jus à sua luta!
Um abraço, obrigado.