22.12.10

ALTO PATROCÍNIO

Que o governo, através de José Sócrates (e a pandilha que o rodeia) vem manifestando uma total insensibilidade para com as dificuldades dos cidadãos já nós sabíamos. Que o patronato faça tudo para negar o justo vencimento aos trabalhadores, enquanto vão gozar a passagem de Ano bem como outras datas importantes em grandes hóteis e paragens principescas, é do conhecimento comum. Por isso não se pode estranhar que o governo e patrões mais uma vez deixassem cair a máscara e assumissem em uníssono a mentira, recusando o aumento do salário mínimo para os 500 euros, fundamentando com dificuldades, que já vários estudos vieram desmentir. Para bom entendedor: são todos uns aldrabões.
No entanto é estranho que Cavaco Silva que ainda há dois dias se insurgiu contra os cortes nos apoios ao ensino privado (onde estudam os filhos dos ricos) não se tenha desta feita insurgido contra este incumprimento por parte do patronato e do governo. Com esta atitude está quase tudo dito e pouco mais há a explicar. Os necessitados (pobres) que paguem a crise e porventura se tiverem coragem que se defendam sozinhos, porque os ricos contam com o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República e ainda o inestimável favor público do governo de José Sócrates e respectivos parceiros de governação.
Este foi o Natal que os donos desta terra nos quiseram dar, e eu por acaso até estou à vontade porque ganho mais de 500 euros, mas acho que neste momento português nenhum deveria ganhar menos de 750 euros mensais.

2 comentários:

silvia disse...

Bem vou ter k partilhar no facebook ;)

boas festas!

silvia disse...

Bem vou ter k partilhar no facebook ;)

boas festas!